Atualize o seu software para clínicas de acordo com as normas LGPD para não ter punições severas

Software para clínicas atualizado para LGPD: entenda!

A Lei Geral de Proteção de Dados, mais conhecida como LGPD, foi criada para regulamentar o tratamento e armazenamento de dados pessoais e sensíveis por parte das empresas – inclusive as que utilizam software médico.

Essa lei está vigorando para todas as áreas da economia, sendo assim, o setor de saúde não poderia ficar de fora (especialmente clínicas e consultórios médicos, que coletam um grande número de informações sobre pessoas físicas e jurídicas).

No entanto, embora a lei seja extremamente importante, alguns empreendedores ainda julgam a necessidade da adaptação dos processos a essa lei, mesmo que tenha entrado em vigor desde agosto de 2021. 

O que muitos não sabem é que caso a clínica não siga as normas previstas nessa lei, o estabelecimento terá que arcar com sanções severas – como multas milionárias e intervenções administrativas. Ou seja, o assunto é sério e todas as empresas já deveriam estar de acordo com essas novas normas! Então, se a sua clínica médica ainda não entende o que é a LGPD ou como se adequar a tal lei, está na hora de fazer mudanças urgentes.

Caso contrário, você poderá ter uma surpresa extremamente negativa ao longo dos próximos meses. 

Para entender a gravidade disso, confira as principais punições da LGPD para empresas que armazenam, manuseiam e protegem os dados dos seus clientes e usuários de forma inadequada.

Saiba também como é feita a fiscalização – sim, um órgão público foi criado para fiscalizar a atuação das empresas em relação a proteção de dados, o que torna a regularização das atividades da sua clínica mais importante.

Acompanhe!

Punições da LGPD e sistema médico: como se relacionam?

Antes de mais nada é importante ressaltar que além de medidas internas nos processos de coleta e administração de dados, as clínicas precisam investir em sistemas médicos de gestão que sigam as normas LGPD. Ou seja, o próprio software de gestão para clínicas utilizado deve operar de acordo com as normas para que o estabelecimento não tenha transtornos. 

É uma forma de otimizar o processo de segurança de dados, além de garantir que a proteção seja de 100% enquanto você e sua equipe podem se concentrar nas atividades comuns do dia a dia da empresa. 

Se a sua clínica ainda não tem um sistema para clínica médica, está na hora de investir em um. E, quando for realizar a contratação, lembre-se de verificar se o programa já conta com as atualizações necessárias em decorrência da lei.

No caso de sua clínica já ter um sistema para médicos, é importante atualizá-lo seguindo as normas LGPD. Se não for possível por causa do modelo de processo do software, o ideal é optar por outro programa, ou até mesmo trocar a marca. 

Há opções disponíveis que estão 100% regularizadas e operando de acordo com as leis LGPD, como as soluções da MDMED

Com isso em mente, sabendo onde agir, conheça mais sobre as punições para quem descumprir as normas da Lei Geral de Proteção de Dados. Acompanhe!

Punições severas da LGPD: entenda quais as sanções financeiras e administrativas

Existem diversas possíveis penalizações, dependendo da gravidade da situação e quantidade de vezes que o local já foi penalizado. 

De forma geral, o não cumprimento das determinações estabelecidas pela LGPD pode resultar em sanções até mesmo administrativas – como advertências, suspensão parcial do funcionamento do banco de dados da clínica, suspensão do exercício da atividade de tratamento dos dados pessoais relativos à infração, assim como a proibição parcial ou total do tratamento de dados como um todo (o que é ainda mais grave).

Além disso, a empresa pode levar penalizações financeiras, as quais incluem multas simples, multas diárias e publicização da infração. 

As simples são as menos severas, calculadas a partir do faturamento da empresa. No entanto, há uma limitação de 2% do faturamento da pessoa jurídica e de 50 milhões de reais por infração. A multa diária também é limitada da mesma forma.

Ou seja, o valor da multa pode ser bem alto e comprometer o orçamento da clínica, o que vai gerar impacto no funcionamento do local, uma vez que sem dados, os médicos e profissionais da saúde não conseguem prestar serviços tão assertivos.

Quem fiscaliza tudo isso? Como acontece?

As normas da LGPD serão fiscalizadas pela Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD). 

O órgão pode atuar por requerimentos, em decorrência do programa periódico de fiscalização ou em cooperação com órgãos e entidades da administração pública, além de atuar em operações em conjunto com autoridades de proteção de dados de outros países. 

Este órgão sempre será rigoroso com as empresas! Portanto, não estar em normalidade com lei é contar com a sorte.

Conte com o sistema médico MDMED

Para não sofrer com essas punições, a clínica deve agir imediatamente. 

Uma das ações mais recomendadas é a atualização do sistema médico de gestão para clínicas – ou a troca dele, como foi mencionado.

O sistema para clínica médica MDMED é super completo, de alta qualidade e está 100% em conformidade com as normas da LGPD. 

Também nos atentamos a buscar informações e melhorias para mantê-lo seguro – acompanhando, inclusive, o surgimento de novas leis, regras ou normas em relação ao tema.

Saiba mais acessando nosso site. Conte com o software para consultório MDMED para ter segurança, produtividade e qualidade na sua clínica!

A Lei Geral de Proteção de Dados, mais conhecida como LGPD, foi criada para regulamentar o tratamento e armazenamento de dados pessoais e sensíveis por parte das empresas – inclusive as que utilizam software médico.

Essa lei está vigorando para todas as áreas da economia, sendo assim, o setor de saúde não poderia ficar de fora (especialmente clínicas e consultórios médicos, que coletam um grande número de informações sobre pessoas físicas e jurídicas).

No entanto, embora a lei seja extremamente importante, alguns empreendedores ainda julgam a necessidade da adaptação dos processos a essa lei, mesmo que tenha entrado em vigor desde agosto de 2021. 

O que muitos não sabem é que caso a clínica não siga as normas previstas nessa lei, o estabelecimento terá que arcar com sanções severas – como multas milionárias e intervenções administrativas. 

Ou seja, o assunto é sério e todas as empresas já deveriam estar de acordo com essas novas normas! Então, se a sua clínica médica ainda não entende o que é a LGPD ou como se adequar a tal lei, está na hora de fazer mudanças urgentes.

Caso contrário, você poderá ter uma surpresa extremamente negativa ao longo dos próximos meses. 

Para entender a gravidade disso, confira as principais punições da LGPD para empresas que armazenam, manuseiam e protegem os dados dos seus clientes e usuários de forma inadequada.

Saiba também como é feita a fiscalização – sim, um órgão público foi criado para fiscalizar a atuação das empresas em relação a proteção de dados, o que torna a regularização das atividades da sua clínica mais importante.

Acompanhe!

Punições da LGPD e sistema médico: como se relacionam?

Antes de mais nada é importante ressaltar que além de medidas internas nos processos de coleta e administração de dados, as clínicas precisam investir em sistemas médicos de gestão que sigam as normas LGPD. Ou seja, o próprio software de gestão para clínicas utilizado deve operar de acordo com as normas para que o estabelecimento não tenha transtornos. 

É uma forma de otimizar o processo de segurança de dados, além de garantir que a proteção seja de 100% enquanto você e sua equipe podem se concentrar nas atividades comuns do dia a dia da empresa. 

Se a sua clínica ainda não tem um sistema para clínica médica, está na hora de investir em um. E, quando for realizar a contratação, lembre-se de verificar se o programa já conta com as atualizações necessárias em decorrência da lei.

No caso de sua clínica já ter um sistema para médicos, é importante atualizá-lo seguindo as normas LGPD. Se não for possível por causa do modelo de processo do software, o ideal é optar por outro programa, ou até mesmo trocar a marca. 

Há opções disponíveis que estão 100% regularizadas e operando de acordo com as leis LGPD, como as soluções da MDMED

Com isso em mente, sabendo onde agir, conheça mais sobre as punições para quem descumprir as normas da Lei Geral de Proteção de Dados. Acompanhe!

Punições severas da LGPD: entenda quais as sanções financeiras e administrativas

Existem diversas possíveis penalizações, dependendo da gravidade da situação e quantidade de vezes que o local já foi penalizado. 

De forma geral, o não cumprimento das determinações estabelecidas pela LGPD pode resultar em sanções até mesmo administrativas – como advertências, suspensão parcial do funcionamento do banco de dados da clínica, suspensão do exercício da atividade de tratamento dos dados pessoais relativos à infração, assim como a proibição parcial ou total do tratamento de dados como um todo (o que é ainda mais grave).

Além disso, a empresa pode levar penalizações financeiras, as quais incluem multas simples, multas diárias e publicização da infração. 

As simples são as menos severas, calculadas a partir do faturamento da empresa. No entanto, há uma limitação de 2% do faturamento da pessoa jurídica e de 50 milhões de reais por infração. A multa diária também é limitada da mesma forma.

Ou seja, o valor da multa pode ser bem alto e comprometer o orçamento da clínica, o que vai gerar impacto no funcionamento do local, uma vez que sem dados, os médicos e profissionais da saúde não conseguem prestar serviços tão assertivos.

Quem fiscaliza tudo isso? Como acontece?

As normas da LGPD serão fiscalizadas pela Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD). 

O órgão pode atuar por requerimentos, em decorrência do programa periódico de fiscalização ou em cooperação com órgãos e entidades da administração pública, além de atuar em operações em conjunto com autoridades de proteção de dados de outros países. 

Este órgão sempre será rigoroso com as empresas! Portanto, não estar em normalidade com lei é contar com a sorte.

Conte com o sistema médico MDMED

Para não sofrer com essas punições, a clínica deve agir imediatamente. 

Uma das ações mais recomendadas é a atualização do sistema médico de gestão para clínicas – ou a troca dele, como foi mencionado.

O sistema para clínica médica MDMED é super completo, de alta qualidade e está 100% em conformidade com as normas da LGPD. 

Também nos atentamos a buscar informações e melhorias para mantê-lo seguro – acompanhando, inclusive, o surgimento de novas leis, regras ou normas em relação ao tema.

Saiba mais acessando nosso site. Conte com o software para consultório MDMED para ter segurança, produtividade e qualidade na sua clínica!

A Lei Geral de Proteção de Dados, mais conhecida como LGPD, foi criada para regulamentar o tratamento e armazenamento de dados pessoais e sensíveis por parte das empresas – inclusive as que utilizam software médico.

Essa lei está vigorando para todas as áreas da economia, sendo assim, o setor de saúde não poderia ficar de fora (especialmente clínicas e consultórios médicos, que coletam um grande número de informações sobre pessoas físicas e jurídicas).

No entanto, embora a lei seja extremamente importante, alguns empreendedores ainda julgam a necessidade da adaptação dos processos a essa lei, mesmo que tenha entrado em vigor desde agosto de 2021. 

O que muitos não sabem é que caso a clínica não siga as normas previstas nessa lei, o estabelecimento terá que arcar com sanções severas – como multas milionárias e intervenções administrativas. 

Ou seja, o assunto é sério e todas as empresas já deveriam estar de acordo com essas novas normas! Então, se a sua clínica médica ainda não entende o que é a LGPD ou como se adequar a tal lei, está na hora de fazer mudanças urgentes.

Caso contrário, você poderá ter uma surpresa extremamente negativa ao longo dos próximos meses. 

Para entender a gravidade disso, confira as principais punições da LGPD para empresas que armazenam, manuseiam e protegem os dados dos seus clientes e usuários de forma inadequada.

Saiba também como é feita a fiscalização – sim, um órgão público foi criado para fiscalizar a atuação das empresas em relação a proteção de dados, o que torna a regularização das atividades da sua clínica mais importante.

Acompanhe!

Punições da LGPD e sistema médico: como se relacionam?

Antes de mais nada é importante ressaltar que além de medidas internas nos processos de coleta e administração de dados, as clínicas precisam investir em sistemas médicos de gestão que sigam as normas LGPD. Ou seja, o próprio software de gestão para clínicas utilizado deve operar de acordo com as normas para que o estabelecimento não tenha transtornos. 

É uma forma de otimizar o processo de segurança de dados, além de garantir que a proteção seja de 100% enquanto você e sua equipe podem se concentrar nas atividades comuns do dia a dia da empresa. 

Se a sua clínica ainda não tem um sistema para clínica médica, está na hora de investir em um. E, quando for realizar a contratação, lembre-se de verificar se o programa já conta com as atualizações necessárias em decorrência da lei.

No caso de sua clínica já ter um sistema para médicos, é importante atualizá-lo seguindo as normas LGPD. Se não for possível por causa do modelo de processo do software, o ideal é optar por outro programa, ou até mesmo trocar a marca. 

Há opções disponíveis que estão 100% regularizadas e operando de acordo com as leis LGPD, como as soluções da MDMED

Com isso em mente, sabendo onde agir, conheça mais sobre as punições para quem descumprir as normas da Lei Geral de Proteção de Dados. Acompanhe!

Punições severas da LGPD: entenda quais as sanções financeiras e administrativas

Existem diversas possíveis penalizações, dependendo da gravidade da situação e quantidade de vezes que o local já foi penalizado. 

De forma geral, o não cumprimento das determinações estabelecidas pela LGPD pode resultar em sanções até mesmo administrativas – como advertências, suspensão parcial do funcionamento do banco de dados da clínica, suspensão do exercício da atividade de tratamento dos dados pessoais relativos à infração, assim como a proibição parcial ou total do tratamento de dados como um todo (o que é ainda mais grave).

Além disso, a empresa pode levar penalizações financeiras, as quais incluem multas simples, multas diárias e publicização da infração. 

As simples são as menos severas, calculadas a partir do faturamento da empresa. No entanto, há uma limitação de 2% do faturamento da pessoa jurídica e de 50 milhões de reais por infração. A multa diária também é limitada da mesma forma.

Ou seja, o valor da multa pode ser bem alto e comprometer o orçamento da clínica, o que vai gerar impacto no funcionamento do local, uma vez que sem dados, os médicos e profissionais da saúde não conseguem prestar serviços tão assertivos.

Quem fiscaliza tudo isso? Como acontece?

As normas da LGPD serão fiscalizadas pela Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD). 

O órgão pode atuar por requerimentos, em decorrência do programa periódico de fiscalização ou em cooperação com órgãos e entidades da administração pública, além de atuar em operações em conjunto com autoridades de proteção de dados de outros países. 

Este órgão sempre será rigoroso com as empresas! Portanto, não estar em normalidade com lei é contar com a sorte.

Conte com o sistema médico MDMED

Para não sofrer com essas punições, a clínica deve agir imediatamente. 

Uma das ações mais recomendadas é a atualização do sistema médico de gestão para clínicas – ou a troca dele, como foi mencionado.

O sistema para clínica médica MDMED é super completo, de alta qualidade e está 100% em conformidade com as normas da LGPD. 

Também nos atentamos a buscar informações e melhorias para mantê-lo seguro – acompanhando, inclusive, o surgimento de novas leis, regras ou normas em relação ao tema.

Saiba mais acessando nosso site. Conte com o software para clínicas MDMED para ter segurança, produtividade e qualidade na sua clínica!

A Lei Geral de Proteção de Dados, mais conhecida como LGPD, foi criada para regulamentar o tratamento e armazenamento de dados pessoais e sensíveis por parte das empresas – inclusive as que utilizam software médico.

Essa lei está vigorando para todas as áreas da economia, sendo assim, o setor de saúde não poderia ficar de fora (especialmente clínicas e consultórios médicos, que coletam um grande número de informações sobre pessoas físicas e jurídicas).

No entanto, embora a lei seja extremamente importante, alguns empreendedores ainda julgam a necessidade da adaptação dos processos a essa lei, mesmo que tenha entrado em vigor desde agosto de 2021. 

O que muitos não sabem é que caso a clínica não siga as normas previstas nessa lei, o estabelecimento terá que arcar com sanções severas – como multas milionárias e intervenções administrativas. 

Ou seja, o assunto é sério e todas as empresas já deveriam estar de acordo com essas novas normas! Então, se a sua clínica médica ainda não entende o que é a LGPD ou como se adequar a tal lei, está na hora de fazer mudanças urgentes.

Caso contrário, você poderá ter uma surpresa extremamente negativa ao longo dos próximos meses. 

Para entender a gravidade disso, confira as principais punições da LGPD para empresas que armazenam, manuseiam e protegem os dados dos seus clientes e usuários de forma inadequada.

Saiba também como é feita a fiscalização – sim, um órgão público foi criado para fiscalizar a atuação das empresas em relação a proteção de dados, o que torna a regularização das atividades da sua clínica mais importante.

Acompanhe!

Punições da LGPD e sistema médico: como se relacionam?

Antes de mais nada é importante ressaltar que além de medidas internas nos processos de coleta e administração de dados, as clínicas precisam investir em sistemas médicos de gestão que sigam as normas LGPD. Ou seja, o próprio software de gestão para clínicas utilizado deve operar de acordo com as normas para que o estabelecimento não tenha transtornos. 

É uma forma de otimizar o processo de segurança de dados, além de garantir que a proteção seja de 100% enquanto você e sua equipe podem se concentrar nas atividades comuns do dia a dia da empresa. 

Se a sua clínica ainda não tem um sistema para clínica médica, está na hora de investir em um. E, quando for realizar a contratação, lembre-se de verificar se o programa já conta com as atualizações necessárias em decorrência da lei.

No caso de sua clínica já ter um sistema para médicos, é importante atualizá-lo seguindo as normas LGPD. Se não for possível por causa do modelo de processo do software, o ideal é optar por outro programa, ou até mesmo trocar a marca. 

Há opções disponíveis que estão 100% regularizadas e operando de acordo com as leis LGPD, como as soluções da MDMED

Com isso em mente, sabendo onde agir, conheça mais sobre as punições para quem descumprir as normas da Lei Geral de Proteção de Dados. Acompanhe!

Punições severas da LGPD: entenda quais as sanções financeiras e administrativas

Existem diversas possíveis penalizações, dependendo da gravidade da situação e quantidade de vezes que o local já foi penalizado. 

De forma geral, o não cumprimento das determinações estabelecidas pela LGPD pode resultar em sanções até mesmo administrativas – como advertências, suspensão parcial do funcionamento do banco de dados da clínica, suspensão do exercício da atividade de tratamento dos dados pessoais relativos à infração, assim como a proibição parcial ou total do tratamento de dados como um todo (o que é ainda mais grave).

Além disso, a empresa pode levar penalizações financeiras, as quais incluem multas simples, multas diárias e publicização da infração. 

As simples são as menos severas, calculadas a partir do faturamento da empresa. No entanto, há uma limitação de 2% do faturamento da pessoa jurídica e de 50 milhões de reais por infração. A multa diária também é limitada da mesma forma.

Ou seja, o valor da multa pode ser bem alto e comprometer o orçamento da clínica, o que vai gerar impacto no funcionamento do local, uma vez que sem dados, os médicos e profissionais da saúde não conseguem prestar serviços tão assertivos.

Quem fiscaliza tudo isso? Como acontece?

As normas da LGPD serão fiscalizadas pela Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD). 

O órgão pode atuar por requerimentos, em decorrência do programa periódico de fiscalização ou em cooperação com órgãos e entidades da administração pública, além de atuar em operações em conjunto com autoridades de proteção de dados de outros países. 

Este órgão sempre será rigoroso com as empresas! Portanto, não estar em normalidade com lei é contar com a sorte.

Conte com o sistema médico MDMED

Para não sofrer com essas punições, a clínica deve agir imediatamente. 

Uma das ações mais recomendadas é a atualização do sistema médico de gestão para clínicas – ou a troca dele, como foi mencionado.

O sistema para clínica médica MDMED é super completo, de alta qualidade e está 100% em conformidade com as normas da LGPD. 

Também nos atentamos a buscar informações e melhorias para mantê-lo seguro – acompanhando, inclusive, o surgimento de novas leis, regras ou normas em relação ao tema.

Saiba mais acessando nosso site. Conte com o software para consultório MDMED para ter segurança, produtividade e qualidade na sua clínica!

Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Deixe um comentário
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.