Sua clínica médica trata pessoas como pacientes e não como clientes. Essa noção é muito importante no consultório, pois reforça o ambiente de cuidado humano. No entanto, sua clínica não deixa de ser uma empresa e parte dela - ou um sistema específico - tem que fazer a gestão dos recursos. O controle financeiro da clínica médica é uma das suas preocupações? Hora de resolver! Você pode aprender, agora mesmo, como lidar com as finanças da empresa.

Neste artigo, elencamos uma série de dicas para você não gastar os recursos de forma indevida e manter o saldo positivo. As palavra-chaves podemos antecipar: planejamento e rigor.

Médicos conhecem muito bem a importância da precisão em uma cirurgia por exemplo. Lidar com dinheiro também requer máxima atenção: cada centavo importa e pode impactar a saúde financeira do consultório.

Siga a leitura e saiba como cuidar das finanças e aumentar a rentabilidade do seu negócio!

Dicas para melhorar o controle financeiro na clínica médica

Planejamento financeiro

Seu primeiro cuidado com o controle financeiro na clínica médica pode ser a antecipação do planejamento financeiro. Alguns gestores têm o hábito de se dedicar a esse trabalho em janeiro, no início do ano.

Isso parece certo? Não é! O ideal é focar no planejamento financeiro do próximo ano no mês de setembro. Se a ideia é planejar, reserve um bom tempo para traçar os planos com mais dedicação. Dessa forma, sempre que o ano vira, sua clínica está totalmente preparada para o novo ciclo.

Entradas e saídas

É provável que você tenha ouvido falar sobre fluxo de caixa inúmeras vezes. Você tem feito tudo certinho? Vamos relembrar! Um bom fluxo de caixa para clínica mantém tudo devidamente anotado. Datas e valores das contas a pagar e a receber, ou seja, cada real que entra e sai é registrado.

Um controle ainda mais rigoroso ocorre quando o administrador faz esse trabalho utilizando um software de gestão. A ferramenta otimiza o armazenamento de dados, organizando-os de maneira eficiente, evitando atraso nas contas e gastos desnecessários com juros.

Uma estratégia importante é o gestor definir controles periódicos para fazer o fluxo de caixa: diário, semanal, quinzenal ou mensal. É interessante que o período não seja muito longo para o gestor não perder o controle.

Gastos desnecessários

Rigor era uma das palavras-chaves aqui. Pois bem, alguns gastos desnecessários estão escondidos por todo canto quando não é feito o controle financeiro na clínica médica. Para não incorrer neste erro, identifique e elimine qualquer gasto supérfluo. 

Essa estratégia é simples, antiga e traz resultado, principalmente no longo prazo. Seja criterioso. Questione tudo que à primeira vista parece essencial. Se algo não importa para o paciente e não ajuda os profissionais no dia a dia, é somente um gasto.

Fundo de reserva

Quem imaginou que, em 2020, o mundo inteiro se concentraria no enfrentamento de um vírus capaz de tirar 380 mil vidas em todo mundo somente até o meio do ano? Pois é, as surpresas acontecem e é por isso que você não pode relegar sua clínica a sorte.

Prevenir é o melhor remédio, então, prepare um fundo de reserva para melhorar o controle financeiro na clínica médica. Dessa forma, sua instituição sofrerá menos impacto quando uma crise econômica - como essa provocada pelo coronavírus - reduzir o poder aquisitivo da população.

O fundo de reserva também pode ser acionado para investimentos inesperados, como a manutenção de equipamentos no consultório. Além disso, em determinados momentos, o fluxo de pacientes pode ser menor, derrubando as receitas da clínica. Nesse caso, o fundo pode ser usado para arcar com as despesas. Por isso, a nossa dica é: contribua mensalmente com o fundo, destinando a ele um percentual fixo do lucro da clínica.

Grandes gastos

Planejamento também é uma das palavras-chave no controle financeiro das clínicas médicas. Lembra?

Olhando para os números relativos às despesas e receitas, faça projeções para o trimestre, ou semestre que vem. Por exemplo: se na sua clínica, o mês de fevereiro é ruim por causa de uma baixa em janeiro, deixe recursos para se prevenir de grandes gastos em fevereiro.

Dezembro também costuma ser um mês de muitos gastos por causa de contas, como o IPTU e o 13º salário dos colaboradores, então, a clínica tem que se organizar. Quem não se planeja e não domina a movimentação financeira do consultório acaba pego de surpresa.

Software de gestão para clínica

As clínicas médicas têm à disposição uma série de soluções para auxiliar em suas tarefas. Com isso o atendimento é ágil, se for presencial, e digital, se for necessário. Os recursos também ajudam no agendamento, prescrição e até com a emissão de laudos. 

Práticos, os melhores sistemas estão baseados até na nuvem, permitindo acesso aos usuários onde quer que eles estejam. Assim são os softwares de gestão para clínicas. Além de ajudar os médicos e secretária na suas demandas, eles também possuem recursos para o controle financeiro em sua clínica médica.

Uma boa solução elabora e mostra relatórios de faturamento com filtros por prestador, paciente, procedimentos e operadoras. Também permite a definição de percentuais diferenciados para comissões, de acordo com cada procedimento, usuário ou convênio. 

Outra função importante dos melhores softwares é o módulo TISS, com diversas configurações que facilitam e automatizam o preenchimento de guias. O fluxo de caixa também pode ser feito nos sistemas mais inteligentes.

Sua clínica tem que ser bem administrada e ter recursos para contratar os melhores profissionais e equipamentos. Este é o caminho para atender o paciente com excelência, dispondo de uma equipe altamente qualificada e dos mais avançados recursos que auxiliam a Medicina.

As ferramentas para a gestão financeira da clínicas são eficazes e por isso devem ser implementadas. Além de cumprir as tarefas do financeiro e usar tecnologia, defenda a cultura de controle financeiro em sua clínica médica. Quando todos colaboram, mais recursos são poupados.