A teleconsulta surgiu a partir da telemedicina no Brasil. Seu principal benefício é possibilitar que os serviços de saúde sejam ofertados à distância: médico no consultório, paciente em casa. Sim, em meio à pandemia, quando sair na rua representa o risco de infecção por um vírus letal, o setor de saúde tem que inovar.

Sendo assim, por que não oferecer consulta médica por videoconferência e contribuir com os devidos cuidados sanitários do momento? A teleconsulta é capaz de melhorar o atendimento ao paciente, reduzir custos e manter os diagnósticos assertivos.

Além disso, o serviço pode trazer mudanças permanentes, como agilizar diagnósticos e possibilitar o atendimento aos pacientes que moram no interior. Estes são apenas alguns benefícios das teleconsultas e, como elas devem provocar alterações no setor, é importante que os médicos comecem a dominar a ferramenta.

Cabe ressaltar que, durante a pandemia, a fim de reduzir as consultas presenciais, a questão foi normatizada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) na Resolução da Telemedicina. Além disso, é sustentada pela Portaria 467/2020 do Ministério da Saúde.

A norma do CFM, como revela a Agência Brasil, surgiu para regulamentar e operacionalizar medidas de enfrentamento emergencial, visando à saúde pública e evitando a propagação do novo coronavírus.

Neste artigo, respondemos algumas questões sobre a telemedicina, as teleconsultas e apresentamos uma solução para sua clínica. Confira!

Quais são os formatos de telemedicina?

A opção de teleconsulta é versátil. Além de viabilizar consultas médicas de forma remota, a solução utiliza tecnologias seguras de comunicação online, em especial videoconferência e apps para vídeo-chamadas. A interação acontece por meio de computadores tablets ou smartphones.

O novo modelo pode servir para promover o primeiro atendimento, acompanhamento, ou em situações de urgência. Mas também pode ser útil na supervisão, ou seja, possibilitando a troca de informação entre os médicos.

Podem ser oferecidos cuidados primários, enfermagem e diversas especialidades, como dermatologia, cardiologia e radiologia. A teleconsulta também possui diferentes formatos. Veja:

Entre médicos

O clínico geral precisa da ajuda de um especialista para conseguir uma segunda opinião no diagnóstico. Ele também pode conversar com o colega solicitando o medicamento mais indicado no tratamento, ou orientações sobre a realização de futuros procedimentos.

Entre médico e paciente

Essa interação ocorre de forma direta entre o paciente e o médico. É a teleconsulta propriamente dita. Nesse caso, não há mediação de outro médico ou profissional. 

Síncrona e Assíncrona

As teleconsultas também podem ser divididas em síncronas e assíncronas. Na teleconsulta síncrona, a interação acontece em tempo real, com respostas imediatas. No formato assíncrono, o atendimento é gravado e não exige interação entre médico e paciente.

Como a teleconsulta impacta a vida dos pacientes e médicos?

Entre as vantagens da teleconsulta, a possibilidade de levar o serviço médico a regiões de difícil acesso é um dos destaques. Sim, a medicina está ampliando a oferta de serviços no interior do país e com diagnósticos precisos, pois todos os casos podem ser analisados por diferentes especialistas. 

No contexto da pandemia, a teleconsulta facilita o atendimento de médicos pneumologistas e infectologistas, por exemplo, mas a outras vantagens.

As teleconsultas também são benéficas porque otimizam a operação nas clínicas. Os ganhos são percebidos no tempo e nos custos das consultas. Com o atendimento virtual, a consulta se tornou mais econômica para as clínicas e pacientes, uma vez que não exige deslocamento. Encurtando as distâncias, o acesso a especialistas é viável, mesmo com o paciente em regiões mais longínquas.

A segurança das informações também é garantida. Os dados são guardados respeitando as normas do país. O grau de privacidade, inclusive é maior do que em relação aos prontuários físicos.

A viabilização da consulta à distância, por meio de videoconferência também agiliza atendimentos que poderiam ser interrompidos em função da pandemia por exemplo. Os diagnósticos não perdem precisão, pois os médicos podem recorrer a uma segunda opinião dos colegas.

Como oferecer a teleconsulta aos pacientes?

Para a realização de teleconsulta, sua instituição precisa contratar um software específico, que ofereça a ferramenta de consulta online. Existem diversas opções no mercado e você tem que escolher uma solução segura, que jamais exponha os dados repassados entre os pacientes e a equipe de médicos.

Acompanhando a demanda por atendimento online, o MDMED incluiu o recurso de telemedicina em seu sistema. A ferramenta, vinculada ao MDMED WEB, você utiliza Grátis por 30 dias!

A chamada é parecida com a experiência em redes sociais, como Skype, WhatsApp e Zoom. Depois de aceitar a consulta online, o paciente recebe as instruções e o link para a consulta virtual. Quando chega a data, o médico acessa a área de atendimento, o histórico do paciente e a sala virtual.

Uma das principais vantagens é que o médico tem um comando digital mais moderno. Enquanto está na chamada, o profissional consegue ver o histórico e anotar informações sobre a consulta que está oferecendo.

No caso do paciente, também há ganhos e praticidade. Se preferir usar o computador, o paciente inicia o acesso direto no navegador. Basta clicar no link que veio por e-mail e entrar na consulta online. No caso do celular, o paciente precisar fazer download de um aplicativo e, depois, começa a usar.

A solução que a sua clínica procura para manter o atendimento existe e tem nome: teleconsulta. Agora, é possível manter o relacionamento próximo, mesmo quando o paciente não pode se deslocar até o consultório. Mais um ponto para a tecnologia! Mais um acerto das instituições que acompanham as tendências e se atualizam.

Gostou de saber mais sobre as teleconsultas? Você pode oferecer este serviço entrando em contato com o MDMED. Para fazer mais otimizações na sua clínica, leia outros artigos do blog.